Home - Manuela Berbert
15339
home,paged,page-template,page-template-blog-large-image-whole-post,page-template-blog-large-image-whole-post-php,page,page-id-15339,paged-3,page-paged-3,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-2.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.7.4,vc_responsive


01 ago Agosto com gosto de coisas boas

 

Tá aí uma coisa que agosto sempre faz comigo: me traz gosto de novidades e de coisas boas. Inúmeras situações já me aconteceram neste mês, em outros anos, e eu já não chego mais no primeiro dia dele arrastando medos ou dramas. Tudo tem sempre uma razão de ser, e se a gente não acreditar nas melhores possibilidades, como é que fica a vida?

Abri os olhos e o coração para o lado bom do mundo, das pessoas, das possibilidades, dos relacionamentos e convivências. “Qualquer problema que você tiver comigo é problema seu” nunca fez tanto sentido. Não sou a dona da verdade, nem melhor que ninguém, mas sigo aprendendo a não gastar mais a minha anergia com o que não pode me tornar melhor.

Tem uma coisinha chamada energia que não falha. Quanto mais nos aproximamos de nós mesmos, mais nos afastamos de quem não combina com a gente de alguma forma. E muitas vezes essas pessoas estão até ao nosso redor fisicamente, mas não mais com tanta importância ou intensidade. Fluidez. Constâncias. Emoções. Sem pressa.

Já fui muito amiga da ansiedade, caminhava de mãos dadas com uma insatisfação genuína sem explicação. Me fiz livre. Me desfiz dos laços invisíveis que nos unia. Sigo suave. Tranquila. Contente sem saber porque. Só sentir. Às vezes acho que isso tudo tem nome. Às vezes acho que seu nome aparece por conta disso tudo. E só o tempo poderá entender, para me explicar. Enquanto isso, eu vivo, com (a)gosto de coisas boas…

 

28 jul Tocando em frente

 

“São muitos anos fazendo a mesma coisa!” disse Evaristo Costa, em vídeo, hoje, explicando a sua saída do JH e, provavelmente, dando início a uma nova história!

Esta decisão nem sempre é entendida por todos, mas quando tomada nos faz um bem enoooooorme! Às vezes embarcamos num redemoinho de achismos, de pensamentos negativos, como se só existisse aquela realidade que vivemos, aquela rotina que temos, e só quando temos a coragem de nos encarar de frente pro espelho e dizer “Dê no que dê, eu preciso mudar TUDO”, realmente tudo muda! E o melhor: quem tem que ficar na sua vida, fica! O que tem que ficar na sua vida, fica! Fica, mas fica melhor! E você, quando segue o próprio coração, FICA MAIS FELIZ!

 

25 jul Desencontros

Há alguns anos, e me permitam não saber exatamente quantos, recebi via WhatsApp a música Preocupa Não, que dizia assim “Sem máscara, sem vergonha / De boa sem cerimônia / Desbocada e atrevida / Essa mulher sem maquiagem / Linda falando bobagem / É o amor da minha vida”. Forte, pensei. “Gostou?” Mudei o foco: “ahhhh, amooooo Jorge e Matheus…
***
João amava Maria, que amava Pedro, que achava Joana lindíssima, que queria este rapaz, que teria me mandado algumas músicas e mensagens neste sentido, que não queria ninguém no momento e que teria ponderado o fato de alguém próxima estar interessada nele. (E fica a critério de vocês acreditar que se trata de uma história verídica ou de mais uma obra de ficção).
 ***
A verdade é que esses ciclos são infindáveis. Eu olho ao redor e enxergo tanta gente que poderia estar junto e não está, ou tanto relacionamento falido que não se acaba por motivos que não vem ao caso aqui, agora. Estando acompanhado ou não, a carência afetiva é algo que vem crescendo assombrosamente, um dos grandes motivos pelos quais as clínicas psicológicas estão lotadas. Fora a quantidade de gente que não assume isso nem para si mesmo, quanto mais para os outros.
 ***
Eu acredito em felicidade a dois. A três, a quatro, a cinco e até a dez, quando se cria (e recria) uma família. Nenhum relacionamento vive somente de flores, e é na diferença das sementes que está o aprendizado da convivência. A gente amadurece quanto pessoa quando aprende a respeitar os melindres do outro, bem como, infelizmente, se afoga na dor quando não se respeita em função de agradá-lo. Fórmula não há, mas ninguém disse que tentar, acertar, tentar novamente, errar, seria o caos. Muito pelo contrário. Na vida, só não vale a pena aquilo que deixamos de fazer. Todo o resto é experiência.

23 jul Ser jovem

  • Do meu arquivo pessoal, escrito em 29 de março de 2008.

 

  • Ser jovem é ver a vida com os olhos da alegria, com os olhos da expectativa, da curiosidade.
  • É vibrar a cada canção cantarolada por Sergio Rabelo e sua Banda Submarino.
  • É descer a prataria para receber os amigos em casa, como o advogado Murilo e o bancário Chico fizeram na semana passada.
  • É ficar ligado nas rádios regionais para escutar a música nova da Banda Lordão, “Carregado de mulher.”.
  • É estar em março fazendo os planos para o São João.
  • É cantar e dançar a música Toda Boa, do Psirico, lá no Espora de Ouro hoje.
  • É acompanhar os blogs regionais só para ficar por dentro.
  • É acompanhar as tendências de moda no mundo.
  • É lavar a alma com a vitória de Rafinha no BBB8. Quem queria ver a Gysmunda milionária?
  • É dançar na chuva, é cair no mundo, é dormir a tarde toda sempre que tiver afim.
  • É estudar sempre, é ler ótimos livros e tirar as melhores lições deles.
  • É ir ao Centro de Cultura Adonias Filho prestigiar não somente as peças que vêm de fora, mas prestigiar a cultura local também.
  • É se arrumar toooodo para passear no Shopping Jequitibá e aproveitar para conferir as novidades da Detalhes e da Sorella.
  • É comemorar o aniversário da forma que quiser, seja em casa com a família, ou viajando por aí.
  • Ser jovem na verdade independe de sexo, de religião, de raça e principalmente, de idade. Ser jovem é acordar todos os dias com a intenção de ser feliz!

20 jul Para o amor que está chegando

Desculpa a minha sinceridade assim, logo de cara, mas se não for pedir muito, como bem li por aí, não seja tão pouco. E esse tão pouco não é necessariamente na minha vida, até porque você não tem a menor obrigação de corresponder às minhas expectativas, mas não seja tão pouco na relação. Nas relações.

Eu gostaria muito de entender quem foi que implantou os joguinhos emocionais no mundo. Quem foi que disse que o cara aguça mais a minha curiosidade (e vontade) quando evita me ligar, ou quando me trata mais ou menos numa ligação ou num papinho despretensioso no whatsapp. Quem foi que disse que é o tanto faz que me conquista. Não faça isso comigo, não faça isso contigo, porque só o que você vai ganhar é o meu desinteresse.

Senta aqui, vamos conversar. Puxa a cadeira na mesinha da minha vida e se proponha a me conhecer melhor. Abra o seu coração também, me diga quem és, quais seus planos, quais seus sonhos. Quem sabe eles não combinam com os meus?! E se não forem assim, tão iguaizinhos, quem sabe uma dose bacana de boa vontade não possa nos ajudar? Os nãos da vida a gente tem desde que nasce, é preciso que a gente se abra para o sim!

Eu não posso te prometer perfeição, sabe? Mas tenho me prometido, diariamente, verdade. Verdade nas relações, no querer bem e no não querer também. Se eu ver algo que me lembre você, um bom momento nosso, ou nós dois, eu vou te procurar. Eu vou te ligar. Arque com as consequências da sua decisão de me atender. Ou não.

wordpress theme powered by jazzsurf.com