Home - Manuela Berbert
15339
home,paged,page-template,page-template-blog-large-image-whole-post,page-template-blog-large-image-whole-post-php,page,page-id-15339,paged-36,page-paged-36,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-2.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.7.4,vc_responsive


10 ago Sobre não pertencer

Sou supersticiosa, sempre fui. Acredito no poder da mente, na força com que as coisas acontecem quando precisam acontecer, e nas voltas que o mundo dá de vez em quando, para nos (re) colocar no lugar certo. Daí que essa semana eu tava pensando muito sobre aquela coisinha de não pertencer a determinado comportamento ao redor, a algum lugar ou mesmo a alguém, quando você não tem NADA  a ver com ela. Daí que abri o Armário de Madame ainda láááá no domingo, e li as palavras que acabei me perguntando: “fui eu quem escrevi isso aqui?” Não foi, claro, mas vou colocar um trechinho que muito me identifiquei e que me fez refletir sobre muitas coisas. Ok, só hoje tô conseguindo postar, mas é que algumas coisas mudaram por aqui de uma hora para outra (e muitas ainda tendem a mudar), mas prometo não sumir tanto assim. “É sentar e esperar se acostumar que boa parte da vida adulta é composta por esse fechar de portas na esperança que outras janelas se abram.”

05 ago Pessoas interessantes se atraem

Pessoas gostam de pessoas. Pessoas inteligentes gostam de pessoas interessantes. E ser interessante não tem ligação alguma com coisas palpáveis. Longe disso, inclusive. Ser interessante é ter assunto. Muitos assuntos. Não deixar o papo esfriar. Mudar de assunto quando ele amornar. Questionar. Perguntar. Pessoas gostam de pessoas que se interessam por pessoas. “Olá” “Tudo bem?” e “Como você está?” não caem de moda! Não viram démodé nunca! Pessoas gostam de pessoas que se interessam pela vida. Delas, e de quem está ao seu redor. Pessoas gostam de atenção, carinho, cuidado. É clássico. Não existe mazela que não seja atenuada após um abraço de alguém, por exemplo! Ou um “Eu gosto de você!”. Banalizaram demais o “Eu Te Amo!”. A gente ama tanta coisa hoje em dia! Eu amo café, amo tomar um bom vinho, e uma roda cheia de pessoas bacanas conversando, por exemplo! Adoro escutar pessoas! Mas gostar, gostar mesmo, de verdade, vai se tornando mais seletivo. Vejam que inversão, né? A gente ama tanto, e no final das contas gosta mesmo de poucos. E pessoas gostam de pessoas que saibam exatamente do que gostam. Ou de quem gostam. Pessoas gostam de quem gosta de si mesmo também, mas na medidinha certa para não se tornar alguém sentimentalmente egoísta. Afinal, pessoas que gostam apenas de si também são um saco! Eu não consigo gostar de quem só gosta de si! Tem que rolar o meio-termo aí! Tem que dividir! No final das contas, pessoas gostam de pessoas que consigam enxergá-las! Que consigam lidar bem com elas! No amor, na amizade e na vida!

wordpress theme powered by jazzsurf.com